segunda-feira, 30 de maio de 2011

DITOS POPULARES

MiIha mãe já falava, "quem conta um conto, aumenta um ponto" aqui são alguns ditos populares que foram alterados por má compreensão.

                                 


HOJE É DOMINGO PÉ DE CACHIMBO... e eu ficava imaginando como seria um pé de cachimbo, quando o correto é: HOJE É DOMINGO PEDE CACHIMBO... Domingo é um dia especial para relaxar e fumar um cachimbo ao invés do tradicional cigarro (para aqueles que fumam, naturalmente...).
E a gente pensa que repete corretamente os ' ditos populares'
Dicas do Prof. Pasquale:
No popular se diz: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bichocarpinteiro' "Minha grande dúvida na infância... Mas que bicho é esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro???"
Correto: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro' "Tá aí a resposta para meu dilema de infância!"  EU
NÃO SABIA. E VOCÊ?
Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.'
Enquanto o  correto é:  ' Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.' "Se a batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparrama pelo chão se ela está embaixo dele”?
'Cor de burro quando foge.'
O  correto é:  'Corro de burro quando foge!'"Esse foi o pior de todos!
Burro muda de cor quando foge??? Qual cor ele fica??? Porque ele muda de cor???"
Outro que no popular todo mundo erra: 'Quem tem boca vai a Roma.'
"Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar!"  O  correto é:  'Quem tem boca vaia Roma.' (isso mesmo, do verbo vaiar).
Outro que todo mundo diz errado,
'Cuspido e escarrado' - quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.
O  correto é:  'Esculpido em Carrara.' (Carrara é um tipo de mármore)
Mais um famoso.... 'Quem não tem cão, caça com gato.' "Entendia também, errado, mas entendia! Se não tem o cão para ajudar na caça o gato ajuda! Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que o bicho tá de bom humor!"
O  correto é: 'Quem não tem cão, caça como gato....
ou seja, sozinho!'
Essas dicas foram gentilmente encaminhada por Margarete Sales, obrigado pela colaboração.




domingo, 29 de maio de 2011

INCLUSÃO SOCIAL

Muitas pessoas falam de inclusão mas, não tem ideia de como se faz, nossa sociedade tem que ser educada para tal cultura.
Os deficientes sempre são visto como" coitadinhos, ou bonitinho ou até como seres estranhos", mas eles são pessoas como você ou eu, Deus fez o ser humano a sua semelhança,  por direito devem ser tratados como tal. 
Este casal que está neste vídeo tem uma consciência corporal incrível, eles são sensacionais!!!!!!!!!!!!





quinta-feira, 26 de maio de 2011

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA, DEVERIA SER A NOVA REALIDADE NAS ESCOLAS?


MORAN- A escola precisa re-aprender a ser uma organização efetivamente significativa, inovadora, empreendedora. A escola é previsível demais, burocrática demais, pouco estimulante para os bons professores e alunos. Não há receitas fáceis, nem medidas simples. Mas essa escola está envelhecida nos seus métodos, procedimentos, currículos. A maioria das escolas e universidades se distanciam velozmente da sociedade, das demandas atuais. Sobrevivem porque são os espaços obrigatórios e legitimados pelo Estado. A maior parte do tempo frequentamos as aulas porque somos obrigados, não por escolha real, por interesse, por motivação, por aproveitamento. As escolas conservadoras e deficientes atrasam o desenvolvimento da sociedade, retardam as mudanças.


                       
  
A escola precisa cada vez mais incorporar o humano, a afetividade, a ética, mas também as tecnologias de pesquisa e comunicação em tempo real. Mesmo compreendendo as dificuldades brasileiras, a escola que hoje não tem acesso à Internet está deixando de oferecer oportunidades importantes na preparação do aluno para o seu futuro e o do país.


A escola precisa partir de onde o aluno está, das suas preocupações, necessidades, curiosidades e construir um currículo que dialogue continuamente com a vida, com o cotidiano. Uma escola centrada efetivamente no aluno e não no conteúdo, que desperte curiosidade, interesse. Precisa de bons gestores e educadores, bem remunerados e formados em conhecimentos teóricos, em novas metodologias, no uso das tecnologias de comunicação mais modernas. Educadores que organizem mais atividades significativas do que aulas expositivas, que sejam efetivamente mediadores mais do que informadores. É uma mudança cultural complicada, porque os cursos de formação de professores estão, em geral, distantes tanto das novas metodologias como das tecnologias.

As escolas precisam dar um significado para o aprendizado, fazendo isto o professor irá aguçar a afetividade do aluno, criando um elo entre o aluno e o que está sendo ensinado.

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS LIVRES NA EDUCAÇÃO INFANTIL


                

Brincar livremente é essencial para o desenvolvimento infantil. Porém, muitos pais não têm essa noção e ocupam todo o tempo dos filhos com aulas de judô, balé, futebol, ginástica, deixando de lado o momento de brincar. “Aulas variadas também são importantes, mas não se pode menosprezar a contribuição das brincadeiras livres nem na escola nem em casa”, explica Roseli Mônaco, psicóloga e educadora do Laboratório de Brinquedos e Materiais Pedagógicos (Labrimp) da Faculdade de Educação da USP. Quando é oferecido para um grupo de crianças um espaço com brinquedos e cenários, onde elas podem recriar episódios de vida, a capacidade imaginativa está sendo mais estimulada do que em brincadeiras com regras fixas. Misturando fantasia e realidade, elas constroem sua identidade e personalidade.
Do início de 93 ao final de 97, os educadores do Labrimp observaram o comportamento que crianças de 3 a 6 anos tinham na brinquedoteca. Algumas estavam tão acostumadas a ter orientação para tudo que demoravam a ficar à vontade quando lhes diziam: podem brincar. “Observamos que a maioria dos episódios criados pelas crianças eram curtos e com um número reduzido de temas. Geralmente, as meninas brincam de casinha e os meninos, de luta, seja entre policial e bandido ou entre super-heróis”, conta Roseli. Segundo a psicóloga, as poucas experiências em ambientes diferentes, como parques, circos, zoológicos, são alguns dos fatores que influem na pouca variedade dos temas.
Atualmente, as crianças entram na escola cada vez mais novas, pois os pais trabalham fora. No entanto, a brincadeira livre não é aplicada na maioria das pré-escolas. “Alguns pais fazem questão de receber as tarefinhas feitas pelos filhos. Comentam que não querem pagar para deixá-los brincando”, diz Roseli. Não é necessário deixar a criança em uma brinquedoteca para que ela brinque.
O importante da brincadeira livre é a interação da criança com o brinquedo e uma outra pessoa, por isso até na hora do banho ou da alimentação isto pode ser feito pelos pais. Deve-se oferecer um brinquedo apropriado para a idade da criança e que desperte a atenção dela; entrar na fantasia da criança e ajudá-la a descobrir e construir seu mundo.
Temos que lembrar que a criança não é um mini adulto, para ter uma agente tão lotada de atividades dirigidas durante o dia e deixando de lado uma caracteristica muito importante que a criança tem naturalmente, que é a criatividade!

EDUCAÇÃO PSICOMOTORA PARA BEBÊS

"O corpo é o primeiro lugar onde a mão do adulto marca a criança, ele é o primeiro espaço onde se impõem os limites sociais e psicológicos que foram dados a sua conduta, ele é o emblema onde a cultura vem inscrever seus signos como também seus brasões “
Vigarello                                     

                                                                                                                                            
A Educação Psicomotora inicialmente deve contemplar o eixo transversal dos currículos de
creche/berçário, ou seja, é o tema principal para o desenvolvimento do bebê, o objetivo não é
acelerar os marcos do desenvolvimento (sorriso, sentar, ficar de pé e andar), cada bebê tem
seu ritmo próprio, que deve ser respeitado. O fundamental no bebê saudável e fora do grupo
de risco é desenvolver de maneira espontânea uma boa organização corporal e relacional para que se desenvolva com eficiência segurança e harmonia.
Desde a entrada do bebê na instituição até a sua saída, todos os profissionais devem estar
aptos para entender e atender este bebê e sua família, a educação psicomotora deve atingir
todos os gestos do dia-a-dia do bebê no berçário: o modo de recebê-lo, carregá-lo, trocá-lo,
dar-lhe banho, alimentá-lo, hora do sono, sociabilidade, comunicados aos pais todos os
momentos são essenciais nesta fase.
É importante sempre falar com o bebê mamanhez, contando-lhe o que se vai fazer, dando-
lhe reforços positivos, mantendo contato olho-a-olho, não bloqueando seus gestos
espontâneos e deixando-o explorar e descobrir o seu próprio corpo. Fundamental instigar os
sentidos: tato, audição, visão, olfato e paladar e atentar ao que se faz e se fala próximo ao
bebê. Vale destacar, que há uma distância imensa entre a expressão e a compreensão dos
bebês: muito antes de aprenderem a falar, eles captam o que se passa no ambiente. E,
evidentemente, deve-se facilitar a organização da coordenação motora.
Wallon, afirma que a motricidade é a primeira forma de expressão emocional e de
comportamento do ser humano, é o movimento que regula o aparecimento e o
desenvolvimento das formações mentais, sendo a motricidade um instrumento privilegiado da
vida psíquica. Ele também salienta a importância do aspecto afetivo como anterior a qualquer
tipo de comportamento, desta forma o processo de evolução da criança está relacionado à
motricidade, a afetividade e a inteligência. ( Janice Cabral Falcão, Educação Psicomotora para bebês).
A criança precisa movimentar-se, para desenvolver sua afetividade, sua inteligencia, seu repertório motor e sua autonomia, sendo assim formando um adulto bem equilibrado.



 
 

terça-feira, 24 de maio de 2011

EDUCAÇÃO PSICOMOTORA

A Psicomotricidade existe nos menores gestos e em todas as atividades que desenvolve a motricidade da criança, visando ao conhecimento e ao domínio do seu próprio corpo. Por isso dizemos que a mesma é um fator essencial e indispensável ao desenvolvimento global e uniforme da criança. A estrutura da Educação Psicomotora é a base fundamental para o processo intelectivo e de aprendizagem da criança. O desenvolvimento evolui do geral para o específico; quando uma criança apresenta dificuldades de aprendizagem, o fundo do problema, em grande parte, está no nível das bases do desenvolvimento psicomotor.

Durante o processo de aprendizagem, os elementos básicos da psicomotricidade são utilizados com freqüência. O desenvolvimento do Esquema Corporal, Lateralidade, Estruturação Espacial, Orientação Temporal e Pré-Escrita são fundamentais na aprendizagem; um problema em um destes elementos irá prejudicar uma boa aprendizagem (Koupernik).

PROFESSOR FAZ A DIFERENÇA

 Nós, professores, temos uma difícil missão de ensinar, educar, encantar e passar aos nossos alunos a importância de uma boa educação para sua vida; força professores, desistir jamais!

                

Os verbos do Professor:
   Mediar
         Tecer                        
               Mapear
                       Fabular          

Mediar:                              
O Professor é um
mediador de conflitos;

Tecer:
O Professor tece significações;

Mapear:
O Professor é um
cartógrafo de relevâncias;

Fabular:
O Professor é um
contador de histórias.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

EDUCAÇÃO FISICA

video
Para quem trabalha com fundamental II este video é uma otima opção de aula, a partir dai é só usar a criatividade e criar a vondade.

QUEM AMA EDUCA

QUEM AMA, EDUCA
         
         
Palestra do Dr. Içami Tiba em Curitiba:


A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

 O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar alguém com internet, som, tv, etc.
 
 Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.
   Confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.
 Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.
 A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se um disse que não ganhará doce, o outro não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente. Em casa que tem comida, criança não morre de fome. Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.
 A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.
 Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se desistir ou for mal na faculdade.
 
 Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais, Não é cabível palpite. Nunca..
 O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. Não há hierarquia. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

Atividades Psicomotoras

Algumas atividades Psicomotoras para Educação Infantil que irão estimular equilibrio, coordenação motora global, autonomia e consciencia corporal.
·        Separar o grupo em duas equipes cada uma com um tecido ou colchonete, duas pessoas sentam no tecido e os outros puxam de um lado para o outro variar a posição da pessoa que estiver no tecido.

·        Com o mesmo tecido colocar em cima da cabeça e fazer um trenzinho maluco onde o primeiro vai dar a direção, depois troca o primeiro passa a ser o ultimo e o segundo passa a ser o primeiro.

·        Com panos de chão dois para cada criança colocar nos pés e explorar fazendo vários movimentos para frente, para trás e para os lados depois um pano nos pés e o outro nas mãos e movimentar-se para frente, para trás e para os lados.

·        Jogo com pano de chão formar equipes e cada um com dois panos nos pés eles só podem se movimentar com os panos nos pés, fazer passe e arremessar no gol, com a bola nas mãos não pode se mover sem ela pode mover-se a vontade.

·        Segurando um tecido de paraquedas brincar de girar para um lado e para o outro balançar, fazer ondas etc. Depois separar os alunos em dois grupos, cada criança deverá ter um numero repetir os números para o outro grupo, todos deverão segurar no tecido ao comando do professor todos jogarão o tecido para cima neste momento o professor chamará um numero que deverá passar por baixo do tecido os demais irão tentar prende-los com o tecido. Podemos também colocar bolas de tamanho e peso diferentes em cima do tecido e brincar de jogar para cima e pegar novamente.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Preconceito Linguístico


Juramos solenemente neste espaço virtual cultuar a educação, cultura, praticas esportivas e direcionar tudo isso a uma forma concensual de aprendizado. Somos a F5 EDUCAÇÃO E CONSULTORIA um grupo que possui Educadores, Consultores e Fonoaudióloga; todos empreendedores de carreira... muito bom! em tese porém empreendedorismo e educação são termos dificieis de serem encontrados na mesma sentença, portanto sabemos que teremos a frente uma tarefa Hercúlea de demonstrar que podemos agir como a sementinha desta mudança.
Entendemos que nos dias de hoje educação como forma de negócio representa dificuldade, recentemente foi apontada curva negativa em relação ao número de formandos de Pedagogia, apontando que educação no Brasil é um mau negócio, já advertiam nossos professores de O.S.P.B nos anos 80, hoje esbarramos com esta triste realidade e os indícios.
Ainda por cima quando uma publicação "Por uma vida melhor" homologada pelo M.E.C trás a citação: "Os livro mais interessante estão emprestado" os autores não se defendem, apenas se posicionam utlizando esta citação como forma de aprendizado popular, e indicam que a forma culta de aprendizado (entenda-se correta) não representa a realidade de muitos estudantes, os quais podem se expressar com bastante fluência e ainda assim falar errado e sofrer desta forma o chamado "Preconceito Linguístico"
Outra forma de Bullying? Melhor tomar cuidado segundo a Jornalista Danusa Leão estão banalizando o termo, assim sendo apenas fica a preocupação com o cenário atual da Educação no Brasil, em meio a tantas dificuldades a publiciade negativa que tal publicação proporciona, só nos leva a avançar uns 10 anos...no sentido contrário.

Mexemos com educação em:

Twitter:
@marcoskitao
#f5escolar

Este post é um oferecimento de:
www.mcclinica.com.br